Senso (in)Comum (…)

agosto 29, 2008

Ressentimento

Um dia desses, sem querer, magoei alguém e como muito “genioso” que sou, não me desculpei. Na verdade trocamos diversos tipos de ofenças, mas eu sou homem e nem me preocupo com isso, mas ela…

Bom, pensei em diversas formas de amenizar a situação, mas nada se encaixou com o meu perfil, então, meio na sorte ouvi alguma coisa e resolvi usar em minha “tentativa de amenização”.

Fui até ela e comecei a declamar, sem dar muita explicação. E o script foi o seguinte:

A raiva é um vento que apaga a lâmpada da mente!

Você tem alguma ferida no coração?

Talvez um professor o humilhou, um companheiro o traiu, um sócio abandonou você com a opção de apagar as dívidas ou ir a falência e você ficou aborrecido. Talvez a ferida seja ainda mais recente, o amigo que lhe deve dinheiro acaba de passar dirigindo um carro novo, o chefe que lhe contratou com promessas de promoção esqueceu o seu nome ou os filhos que você criou parecem ter esquecido que você existe e você vive magoado.

Ela tentou me interromper com cara de quem não estava entendo muita coisa, mas eu continuei.

Você tem uma decisão a tomar. Apagará o fogo ou o alimentará? Esquece ou se vinga? Liberta-se ou fica ressentida? Permitirá que suas feridas sejam curadas ou vai transformá-las em ódio?

É, essa foi um boa definição de ressentimento.
Ressentimento é deixar que suas feridas se transformarem em ódio é permitir que aquilo que está te matando o destrua completamente.
Ressentir-se é atiçar, alimentar, abanar o fogo aumentando a chama e reavivando a dor.

Ressentimento é uma palavra que define a si mesmo, pronuncie essa palavra vagarosamente…

RES… SEM… TI… MENTO

Ela começa com um som semelhante a um rosnado(rihsssss). Como um urso que acorda com mal hálito depois de um longo período de hibernação ou um sarnento cachorro vira-lata defendendo o seu osso na sarjeta da rua.

Estar junto de uma pessoa ressentida é acariciar um cão rosnando… dá o mesmo prazer.

Você não gosta de ficar junto de pessoas que nutrem ressentimento? Não gosta!? É um prazer ouvi-las contar seu ponto lamuriento, elas são tão otimistas, são cheias de esperanças, explodem de alegria com a vida… (risos) você sabe que não é bem assim.

Mas e você? Está permitindo que suas feridas se transformem em ódio? O ressentimento, cuidado, é a cocaína das emoções. Uma pessoa inclinada a vingança inconscientemente se afasta mais e mais da capacidade de perdoar pois, sem a raiva ela está privada de uma fonte de energia.

Livre-se do ressentimento pois, como a cocaína pode matar um viciado a raiva também pode matar o raivoso. Pense nisso e comece a perdoar.

O ódio não afeta o objeto odiado, mas arrasa o receptáculo que o carrega.

Enfim acabei o meu discurso e… acho que ela entendeu.

O texto foi ouvido no “Primeiro Programa” da rádio TransAmérica e depois de algumas pesquisas descobri que o autor é o palestrante Daniel Carvalho Luz.

Bom fica minha dica, vale a pena conferir.

Anúncios

2 Comentários »

  1. todos tempos meios de se motivar… ressentimento de prende á continuar, a levantar a cabeça… legal seu post

    Fábio Santos
    http://fabiosantos.wordpress.com

    Comentário por Fabio Santos — agosto 30, 2008 @ 12:41 pm | Responder

  2. Quem não passou por isso antes?!

    Pois é…este texto parece realmente abrir a nossa mente e despertar a inteligência.
    Perdôar é um ato de inteligência e ressentir é um sentimento “burro”.

    Muito bom o texto.

    Abraços,

    Marcelo Fabricio

    Comentário por Marcelo Fabricio — setembro 2, 2008 @ 11:22 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: