Senso (in)Comum (…)

março 9, 2009

Frase… William Ernest Hocking

Filed under: Ótica,Fragmento — Netto @ 10:11 pm
Tags: , ,

William Ernest Hocking
“As únicas desgraças completas são as desgraças com as quais nada aprendemos. ”

William Ernest Hocking

março 4, 2009

O Vendedor de Balões

Filed under: Ótica,Fragmento — Netto @ 11:22 pm
Tags: , , , ,

Há algum tempo, um vendedor de balões infláveis vendia seu produto em uma movimentada praça. Quando as vendas diminuíam, soltava um desses balões.

Balão - Bexiga

Ao flutuar no ar, despertava a curiosidade das pessoas e reaquecia as vendas por alguns minutos. Alternava as cores; primeiro soltava um branco, logo um vermelho e depois um amarelo.

Passado algum tempo, um menino negro puxou a manga de seu paletó, olhou nos olhos do vendedor e fez uma pergunta penetrante:

– Senhor, se soltasse uma bexiga preta ela subiria?

O vendedor de balões olhou para o pequeno com compaixão, sabedoria e compreensão e disse:

– Filho, o que os faz subir é o que está dentro deles.

Efetivamente o vendedor de balões tinha razão.

Arte com Balões - Bexiga

Pense naquilo que você carrega aí dentro de você e não se esqueça: “O que está dentro de você lhe fará subir”.

fevereiro 26, 2009

Feliz Ano Novo!!!

Filed under: Ótica,Humor — Netto @ 2:55 am
Tags: , , ,

Dizem que o ano aqui no Brasil só começa depois carnaval, então Feliz Ano Novo para todos!

E para comemorar esse grande momento uma piadinha muito bem “sacada”.

Carnaval de Rua

E aí!? Quem foi que disse que não se pode fazer uma grande festa no meio de uma grande crise?

fevereiro 13, 2009

Frase… Abraham Lincoln

Filed under: Ótica,Fragmento — Netto @ 3:06 am
Tags: , ,

Abraham Lincoln - Frase

“Não poderás ajudar os homens de maneira permanente se fizeres por eles  aquilo que eles  podem e devem fazer por si próprios.”

Abraham Lincoln

fevereiro 12, 2009

Estagnação

Filed under: Coletividade,Fragmento — Netto @ 6:00 am
Tags: , ,

A estagnação me parece uma doença que às vezes por insistência ou por força de hábitos contraímos sem nem mesmo perceber.

Estagnação

Insistência e hábitos sim, pois quantas vezes persistimos em amores não correspondidos, em lutar só depois que já fomos derrotados ou em perder um precioso “tempão” tentando convencer alguém que a nossa opinião é a melhor e que só nós estamos com a razão e ainda por cima ficamos chateados quando isso não funciona. A conseqüência desse conjunto de fatores é a perda do amor próprio e a ostentação da aparência de que já superarmos todas as dificuldades ou que não ligamos se vitoriosos ou derrotados somos. Se esse ponto foi atingido passamos pro lado da indiferença, do tanto faz como tanto fez e assim estará bom, não é!?.
(more…)

novembro 18, 2008

Conjugação

Filed under: Ótica — Netto @ 2:55 am
Tags: , , ,

Eu pesco
Tu estudas
Ele aprende
Nós crescemos
Vós sois livres
Eles sonham

setembro 14, 2008

Para Refletir… Um Dia Para Não Existir

Filed under: Ótica — Netto @ 8:48 am
Tags: , , ,

Mais uma semana vai se acabando e mais uma semana vai começando e você o que tem feito?

Sugiro que assista o video e reflita sobre o quanto somos “prisioneiros” nesse planeta – eu diria – e que cada um tem a sua sentença.

E aí? E agora? Vai dar tempo?

setembro 10, 2008

Mas Quem é o Próximo?

Filed under: Ótica — Netto @ 8:49 am
Tags: , , , , ,

O ser humano, de maneira geral, só se inclina a ajudar o próximo quando esse próximo é, principalmente, muito semelhante e agradável aos seus olhos.

Não nos cansamos de ver aquela senhora, e a até mesmo os jovens, elogiando os olhinhos coloridos de tal criança, o seu cabelo liso e a sua roupinha bem limpinha.

Notei esse teor de atitude sem querer e não me esqueço mais.

O video que segue ilustra um pouco do quero dizer.

É… a mesma criança, o mesmo lugar e de fato as mesmas pessoas. Segue a máxima “Parado é suspeito, correndo é ladrão” essa pífia metáfora tem aqui o mesmo sentido.

Vale refletir um pouco e dependendo de quem pensa surtir um pouco de efeito.

Podemos dizer que as coisas que não são bem assim, cada um cada um e nem todos são iguais. Verdade.

Vamos ver um outro exemplo. Vamos imaginar, conforme a ONU fez, se o mundo tivesse menos pessoas e você fosse uma delas. Veja o segundo video.

É… o mesmo de novo, as mesmas pessoas e se você fosse uma delas? Melhor você pode ser uma delas. O que faria nesse mundo? Qual delas você acha que seria? Se fosse a mais rica olharia para os seus pés, ssistiria TV ou desejaria ser a que está morrendo?

É o mundo ou as pessoas que são complicadas?

Aceitemos apenas a realidade e façamos um “melhor”.

agosto 20, 2008

Silêncio

Filed under: Ótica — Netto @ 8:11 am
Tags: , , , ,

Me senti ofendido e asperamente gritei ofensas que não saíram dos meus pensamentos.

Muitas vezes esse silêncio é um valioso acerto.

Se eu tivesse dito, ali, tudo o que pensava poderia ter me colocado em uma situação no mínimo impensada.

Essa ação, imóvel e inerte, foi uma das maiores provas que dei sobre auto-controle a mim mesmo.

Se o momento é difícil e você pode sentir o problema em sua “pele”, não vai adiantar ninguém anunciar a sua derrota, pois se você pode silenciar poderá sorrir, se virar e deixar o que tenta lhe afligir no vácuo.

E essa frustração pode ser muito maior do que segurar seus instintos.

Falar, será sempre uma opção. Mesmo que isso pareça obrigatório será sempre uma escolha.

Um olhar, um sorriso, um abraço… o silêncio podem ser usados em diversos momentos e às vezes são as mais fortes entre todas as respostas.

agosto 7, 2008

Crise de Identidade

Filed under: Ótica,Fragmento — Netto @ 7:39 am
Tags: , , , , ,

Que droga… ela me viu!
Vai ficar muito na cara se eu atravessar a rua e nem vai dar tempo, se eu fizer isso, para não pegar mal.
Tá bom, vou me manter na calçada e fingir que não a vejo, talvez ela se “toque” e perceba a minha intenção…

Não deu certo…

Ela continuou me olhando e eu continuei caminhando, me encarou severamente e pouco depois de passá-la meu braço é fortemente puxado, castigado e sem pestanejar ela me lança…

– Estou atrás de você, sabia!? Te procuro há muito tempo…

Tentei ser canastrão.

– Haa… então foi você que me ligou e foi lá em casa, não é!?

– Sim. – ela respondeu e continuou – Estive em todos os lugares que você pode imaginar, sei muito sobre você e não entendo… corre tanto por quê? O que teme? O que deve?

Fiquei meio sem jeito nesse momento, e como o papo me pareceu ir longe sinalizei para um banco de uma bonita praça perto dali, pelo menos não ia me cansar em pé.

– Já sei! Você quer que a aceite?

Só me deu tempo de dizer isso, pois ela, quase imediatamente e sem respirar continuou.

– Sabe de uma coisa? Eu posso mudar! Posso trocar de roupa, de corte de cabelo, de emprego, de universidade… posso alterar minha fala, meus passos, minha pele… posso recriar o que ainda não foi criado. Posso, para você, ser Deus…

Respirei fundo, senti nesse momento que me inclinava cada vez mais e a cada palavra que aos poucos ela me dizia sentia minha carne sendo dilacerada…

– Só não posso deixar de te ver todos os dias – disse ela mais calma e com a voz mais doce do mundo – de te sentir, de olhar você, de te contemplar… de estar com você em todos os momentos, em todas as estações, seja dia ou noite, dor ou alegria, fé ou dúvida. Em tudo, em tudo mesmo… não posso deixar de ser SUA.

Não teve jeito… dizem que Jesus chorou, mas ali, naquele momento, isso não era mais necessário. Parecia, “Eu”, acordar de um sonho, de um sonho vazio, de devaneios de um mundo do “Eu” sozinho.

Peguei nas mãos dela, nós nos levantamos e eu sem pensar me lancei naqueles braços que já há muito tempo estavam estendidos para mim… Eu, depois de muito tempo anestesiado pelo dia-a-dia, depois de tanta rotina e tanta “mesmice” senti o calor daqueles braços e durante um longo tempo abracei a VIDA, a minha vida, que quase sem querer me distanciava, me desprendia, mas ela é a única coisa que realmente “Eu” tenho!

Descobria, alí, que eu sou a obra-prima da minha vida.

Não deixe você que ela te crie.
Faça você o seu caminho.
Não espere ter sorte, crie as circunstâncias necessárias para ter o que o for necessário para moldar sua VIDA.

Se achou que era sobre romance não estava enganado, ame o que tem e faça sempre o melhor que puder fazer.

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.